Páginas

CNJ quer saber razão de cartório não estar na lista dos irregulares

 

GAZETA DO POVO

Titular do 3.º Ofício de Curitiba não é concursado, mas a serventia foi excluída pelo TJ da relação das que terão de ser regularizadas.

(Minha Opinião: Luiz Alberto Name é Sobrinho de Silvio Name, o REI DOS CARTÓRIOS DO PARANÁ, que está de DONO do 1º Tabelionato de Protesto de Curitiba -  Mas Luiz Alberto Name também é SOBRINHO da DES. REGINA AFONSO PORTES, que foi eleita recentemente para o TRE e cujo MARIDO é ASSESSOR DIRETO do atual Governador – acho muito ESTRANHO essa CORJ, quer dizer, essa tropa, estarem assumindo postos “tão interessantes” dentro do Estado – será que estou vendo conspiração em tudo??? Será?)

Por HELIBERTON CESCA

O Tribunal de Justiça do Paraná (TJ) terá de explicar os motivos de não ter incluído o cartório do 3.º Ofício do Distribuidor de Curi tiba na lista de serventias extrajudiciais ocupadas sem concurso público que foi enviada ao Conselho Nacional de Justiça (CNJ). (Ler mais)

 

Briga pelo cartório

Além de não constar na relação do CNJ, o 3.º Ofício é alvo de uma disputa judicial envolvendo o direito de ocupar a titularidade. A confusão começou no ano 2000, quando o então titular Nilo José de Souza Camargo pediu aposentadoria.

O TJ, então, nomeou o funcionário juramentado (auxiliar do titular) na época, Moizés Pinto Silveira, como novo titular – sem abrir concurso para a vaga. Luiz Alberto Name, escrivão da 1.ª Vara da Família de Curitiba, entrou na Justiça para requerer a remoção de cartório, o que foi negado em 2000. (Ler mais)

Prazo encerrando

Apesar da decisão do TJ que o nomeou para o cartório, Name ainda não assumiu o cargo efetivamente. Hoje encerra-se o prazo para que Silveira encerre o trabalho e repasse todo o conteúdo do cartório para o novo titular. O problema é que isso é uma operação complexa, já que são mais de 3 mil volumes de processos e um HD com os detalhes da movimentação de processos e documentos. (Ler mais)

 

Aqui do OTO (Cachorro do Stº Garcia) e sua ROUBALHEIRA no ALPHAVILLE!

Outros questionamentos do CNJ

O questionamento que o Conselho Nacional de Justiça (CNJ) fez a respeito do cartório do 3.º Ofício do Distribuidor de Curitiba é apenas um de vários que o Tribunal de Justiça do Paraná (TJ) terá de responder.

Recentemente, o CNJ determinou a reabertura de investigações sobre suspeitas de superfaturamento na construção do edifício anexo da sede do TJ, no Centro Cívico, em Curitiba. Além disso, o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) e do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), ministro Gilmar Mendes, requisitou também informações sobre um termo de cooperação técnica, firmado entre o TJ e o Banco Itaú, por meio do qual o tribunal recebia compras de bens e serviços contratados pelo banco. O intuito deste convênio inusitado é o alvo de dúvidas. (HC)

 

Novo titular do 3.º Ofício já havia tido pedido de remoção negado

O escrivão Luiz Alberto Name, que tenta assumir o cartório do 3.º Ofício Distribuidor de Curi tiba, já teve negada pelo Con selho Nacional de Justiça (CNJ) um pedido para ser removido de um cartório judicial para uma serventia extrajudicial sem concurso – em uma solicitação conjunta com outros 3 titulares de cartórios das Varas de Família de Curitiba. (Ler mais)

7 comentários:

Anônimo disse...

Obaaa!! Até que enfim, uma matéria jornalítica inspirada nesse "singelo blog"..Estamos progredindo muito, Maria...Só para constar, a titulo de informação, no Paraná, contrariando o modelo de todos os TJs do país, os cartórios distribuidores são mistos, ou seja, são judiciais e extrajudiciais. A grande maioria dos titulares de cartoriozinhos pequenos (cidades pequenas que ninguém quer) realmente passaram por concurso público. É os cartórios grandes que dispertam acirradas disputas.. Qdo o CNJ disse NÃO para a remoção de titulares de serventias judiciais para as extrajudiciais, acharam outra via, "a mista". Por isso não aparecem na lista, sequer existe, pois como dito, no PR não existe cartório distribuidor extrajudicial. Acharam uma mina de ouro e esconderam de todo mundo.. Mais o seu blog, Maria, não deixa passar nada...Mostra para o povo paranaense a cara do nosso judiciário. Parabéns

Anônimo disse...

O name vai entrar pelos canos. O CNJ não vai permitir que ele assuma, afinal já foi negado uma vez. Só se queimou novamente hehe

Anônimo disse...

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO PARANÁ é SO CORRUPÇÃO

Não adianta teimar......sempre acontece mesmo. E depois diziam que o Anibal Cury era o cara em Cartório.......esses que estão aí hoje.....estão liquidando sentenças, liminares e DECRETOS....de remossão...

Agora o Moises P Silveira de repente consegue uma liminar....e a bagunça continua.....

PORQUE MESMO ESSE CARTÓRIO do 3º DISTRIBUIDOR PÚBLICO não apareceu na relação do ilegais expedida pelo TJPR ao CNJ....?.....

Olha se aprovarem o PEC.....o Cartório do AQN (origem, onde fez o concurso), será efetivado.....e aí...como fica...

Anônimo disse...

Gostaria de informar que o Cartório de São Pedro do Ivaí, Tabelionato de Notas o titular de fachada entrou no esquema sem concurso, tem que verificar no CNJ se o cartório está na lista de cartório vagos.
Tem que cancelar o decreto do titular de fachada para o cartório ir para concurso.

Anônimo disse...

Geralmente queima total de estoque só é anunciada com preços muito abaixo dos antes oferecidos, quando tem muita coisa "estocada' que querem se ver livre antes da "lojinha" fechar, para o prejuízo não ser total.-
Será o sinal que as mudanças estão já muito próximas????????????Desespero?????????Últimas chances?????????Últimas oportunidades?????????

lampiao disse...

será q o cnj lê esse blogu?

MARIA BONITA disse...

AO LAMPIÃO DE 19 Março, 2010 10:15

LAMPIÃO, NÃO SEI SE O CNJ LÊ ESTE BLOG.....SERIA ÓTIMO SE LESSE, NÉ?....RS....