Páginas

FRAUDE NO CONCURSO DE CARTÓRIO BENEFICIA CANDIDATA JULIANA DEZEM ( a safadeza não é só aqui no Paraná)–Organizadoras de concursos estão se vendendo???


A sem vergonhice corre solta nesse Brasilzão de Meu Deus.
Acabando o recesso, JOAQUIM BARBOSA neles!!!!

 

Estou horrorizada com os fatos. Sempre achei que existia fraude nesses concursos que a gente escolheu pra nossa vida, mas confesso que a primeira fase eu pensava ser a mais correta.

Agora fala serio... Oh povo burro! Ao invés de pegar uma pessoa com a nota mais próxima da nota de corte... Nao!!! Pegam o cartão de resposta do "burro" do Fabiano. Se nao for o mais, é um dos caras que eu conheço que mais tem estudado, que tem um conhecimento da matéria fora do comum... E é simplesmente o primeiro lugar do Acre e o vice da ANDECC. Será que eles acharam que ia ficar por isso mesmo???

Eita Brasil!!!!

XXXXXXX, pode contar com a minha divulgação!

Bjo

XXXXX

Enviado via iPhone

 

FRAUDE NO CONCURSO DE RONDÔNIA BENEFICIA CANDIDATA JULIANA DEZEM
Troca de Cartões-resposta entre candidatos: O IESES (famosa organizadora de concursos de cartório (TJMA - 2 vezes -, TJRN, TJCE)), curiosamente, faz a candidata JULIANA DEZEM sair de 31 acertos na prova objetiva para 76 pontos, passando esta, por conseguinte, de reprovada para aprovada, sendo convocada para fazer a prova escrita e prática no dia 13 de Janeiro na cidade de Porto Velho/RO.
O artifício utilizado pela organizadora (IESES) foi trocar o cartão-resposta entre candidatos. Atribuíram à JULIANA DEZEM o cartão-resposta do candidato Fabiano Pereira da Silva. A referida candidata, que tinha acertado apenas 31 questões, possuindo status de reprovada, em um passe de mágica, passou para 76 acertos, o que a fez aumentar sua nota em quase 150%. Obviamente, com a mencionada prática ilícita, a candidata foi convocada para a 2ª fase do concurso.


JULIANA DEZEM fez metade (31) dos pontos necessários para ser convocada, já que a nota de corte da prova objetiva foi de 62 acertos.


Intrigantemente o desempenho da candidata beneficiada não é dos melhores em concursos de cartório. Tomemos como exemplo o último concurso do Tribunal de Justiça de Santa Catarina, em que a mesma conseguiu acertar somente 28 questões na prova objetiva, performance ainda pior que no concurso do TJRO.


Nem mesmo aprovação na 1ª fase do exame da ordem dos advogados (OAB) conseguiu ainda a candidata, em que pese ter feito por diversas vezes a prova objetiva.
Procedeu-se a contato telefônico com a referida candidata, que quando indagada se aquele era o seu cartão-resposta se limitou a dizer que "NÃO". Questionou-se se ela sabia que não tinha acertado 76 questões. Obtemos como resposta um SIM, mas informou não saber ao certo quanto teria tirado, já que supostamente perdera a folha de rascunho do gabarito.


Ato contínuo perguntamos, então, o porquê de a mesma não informar à organizadora que aquele não era o seu cartão-resposta e que não teria tirado 76 pontos. Respondeu-nos, sucintamente, que o IESES não leria seu email com as referidas informações, desligando abruptamente a ligação.


Com o IESES tentamos, primeiramente, entrar em contato telefônico com sua sede em Florianópolis. Contamos toda a fraude, mas nos informaram que o atendimento por telefone seria apenas para relação entre o IESES e as empresas contratantes. Sugeriram-nos enviar um email relatando o evento ardiloso para "
sac@ieses.org" ou diretamente para o presidente da instituição, através do email "gmeireles@ieses.org".


Não satisfeitos enviamos email para ambos os contatos repassados. Após a explicitação minuciosa do fato, recebemos como resposta a simples referência de que o candidato que se sentisse prejudicado deveria entrar com recurso nos dias 27 e 28 de Dezembro de 2012, devendo depois aguardar a resposta dos recursos para o dia 04 de Janeiro de 2013, semana de véspera da realização da 2ª fase. O presidente não retornou o nosso email.


Não se sabe ao certo quantos candidatos podem ter sido beneficiados com o procedimento ilegal adotado pelo IESES, atribuindo cartões-resposta de outros candidatos a determinadas pessoas com desempenho pífio, pura e simplesmente para que estas continuem neste certame flagrantemente viciado.


Se este fato ocorreu na 1ª fase, que é o momento mais objetivo do certame, não nos parece difícil imaginar o que poderá acontecer nas provas escrita e prática e, notadamente, na prova oral, cujas fases possuem enormes conteúdos de subjetividade na correção e atribuição de nota.


Não nos parece justo e jurídico que concursos públicos continuem sendo fraudados, ferindo princípios constitucionais, em detrimento do suor e árduo estudo de candidatos, os quais abrem mão de diversão, emprego e até momentos com a própria família.


Pedimos aos candidatos deste concurso, assim como quaisquer outros que estudem diuturnamente por uma melhor aspiração profissional, que divulguem esse texto em suas redes sociais ou quaisquer outros veículos de comunicação de massa, sob pena de não conseguirem êxito não por falta de mérito, mas sim por apadrinhamentos de candidatos influentes e despreparados.


Sugere-se, também, o envio de emails para o IESES ("
gmeireles@ieses.org" / "sac@ieses.org"), assim como para o Tribunal de Justiça de Rondônia ("cgj@tjro.jus.br" / "ouvidoria@tjro.jus.br") a fim de que os fatos sejam apurados e, consequentemente, esses candidatos ilegalmente convocados sejam excluídos do certame, haja vista que se o concurso assim continuar os candidatos correm o risco de serem apenas atores de uma peça teatral com final sabido e, com certeza, infeliz.
Divulguem!

"O que me preocupa não é o grito dos maus, mas o silêncio dos bons!" (Martin Luther King)

http://forum.concursos.correioweb.com.br/viewtopic.php?p=7795079&sid=4127add7e3ce2d149791e1d5b11f62b3

 

 

 

5 comentários:

Anônimo disse...

falou...e disse...........eu acho que vamos ter que pedir pro CNJ cuidar desses concursossss....

Anônimo disse...

viu tia ...adoooorreeeeiiiiiiiiiiiii o post do oto laiz........cabou a farra............a filhota que é uma anta passou por baixo da porta, mas o filho não deu......kkkkkkkkkkkkkkkkk, com dito rei morto rei posto......

Anônimo disse...

POR ISSO QUE PRECISAMOS SABER DA POSSIBILIDADE DO CNJ FISCALIZAR ESSE TIPO DE CONCURSO EM QUE ROLA MUITA GRANA!

Manuel Olimpio disse...

Esta mesma empresa foi escolhida através de dispensa de licitação para realizar o concurso do TRE MA 2015. Preciso de ajuda para impugnar este contrato suspeito. O interesse publico é indisponível e nunca será de interesse público contratação direta com uma banca suspeita..

JN Oliveira disse...

Andei pesquisando sobre essa "banca"...
Ela anulou 8 questões em um concurso.???
Está mais do que na cara que é uma empresa de fachada... A sede esta em outro estado, mas aposto que os "donos" estão no Maranhão.
MUITO SUSPEITA!
INSTITUTO DE ENGANO SUPERIOR IMPUNE SEMPRE, Do EXTREMO BRASIL.
E vindo da terra Sarneìta...